Vinhos Faustino, da Espanha, voltam a ter distribuição regular no Brasil

Vinhos Faustino, da Espanha, voltam a ter distribuição regular no Brasil

Faustino, vinhos da Rioja e de outras DOs

Depois de um período sem representação, o grupo espanhol Faustino, com sede na Rioja, está investindo forte para voltar a ter participação no mercado brasileiro. No passado, a marca já foi bastante conhecida aqui e é sempre lembrada por seus vinhos de qualidade, como Faustino V Reserva e o notável Faustino I Gran Reserva.

No início de novembro, os jornalistas puderam conhecer as novidades da Faustino, em um evento em São Paulo comandado por Maria Eugênia Sampedro e Fernando Játiva, diretores de operação da empresa em nosso país, com a presença ainda do enólogo José María Moreda Moro.

Com mais de 150 anos de história, Faustino é um dos nomes mais tradicionais da vinicultura espanhola. A primeira bodega foi fundada em 1861 em Oyón, na Rioja Alavesa, por Don Eleuterio Martínez Arzok. Homem de visão, ele comprou o palácio e os vinhedos do marquês de Puerto e logo começou a produzir vinhos. Nos anos 1920, novo passo é dado por seu filho, Don Faustino Martínez Pérez de Albéniz, que recupera os vinhedos devastados nas décadas anteriores pela filoxera e expande a empresa.

A bodega, fundada em 1861

Atualmente, administrado pela quarta geração da família, o grupo tem números grandiosos. Faustino é um conglomerado com sete bodegas em cinco das principais DOs da Espanha. A maior parte de suas atividades se concentra na DOCa Rioja, onde estão as bodegas Faustino (a pioneira, que dá nome a todo o grupo), Campillo e Marqués de Vitoria.

Em La Mancha a empresa possui Bodegas Leganza e, na DO Navarra, Bodegas Valcarlos. Um dos projetos mais ambiciosos da família, Bodegas Portia, fica na DO Ribera del Duero. Faustino conta ainda com Bodegas Victorianas, cujos vinhos são elaborados com uvas de diferentes regiões, e tem atividade também na DO Cava (espumantes).

No total, o grupo detém 2.000 hectares de vinhedos e produz mais de 10 milhões de garrafas de vinho por ano. Uma curiosidade: a marca Faustino surgiu em 1960, identificada por conter no rótulo a imagem de um nobre, tirada de uma pintura do pintor holandês Rembrandt. As primeiras exportações da casa foram feitas nesta mesma época. O grupo informa ser hoje o maior exportador de tintos Gran Reserva da Rioja, com quase 40% das vendas mundiais nessa categoria.

Nos últimos anos, mantendo seus vinhos clássicos, a família lançou novos produtos, com rótulos alegres e coloridos, para buscar o consumidor mais jovem.

 

Distribuidores por Estado

O grupo tem hoje 2 mil hectares de vinhas

Com estas credenciais, a Faustino pretende agora ampliar sua participação no mercado brasileiro. De modo geral, a Espanha aumentou sua atuação nos últimos anos – é o 5º maior fornecedor de rótulos importados em nosso país, registrando 5,96% em volume e 6,70% em valor. Fernando Játiva, um dos responsáveis pelas operações da empresa no Brasil, ressalta que o grupo Faustino responde por 7% das vendas de vinhos espanhóis aqui e quer crescer.

Játiva explicou que o grupo não pretende concentrar seus produtos nas mãos de um único importador e sim manter diferentes distribuidores nas principais regiões consumidoras do país. Segundo ele, Faustino já conta com representantes nos Estados do Paraná, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A praça paulista é a nova prioridade.

No encontro em São Paulo, foram apresentados seis vinhos de diversas marcas do grupo, com comentários do enólogo José María Moreda Moro. Avaliamos alguns deles para que o consumidor conheça os diferentes estilos de Bodegas Faustino. Os preços indicados são os sugeridos pelo produtor.

 

Portia Blanco Verdejo 2018

Bodegas Portia/Grupo Faustino – DO Rueda – Espanha – R$ 85 – Nota 90

Bodegas Portia possui 160 hectares de vinhas. A adega fica em Gumiel de Izán, no coração de Ribera del Duero, um belo projeto futurista do escritório de arquitetura Foster & Partners, na forma de uma estrela de três pontas. Mas a vinícola também produz vinhos com uvas de outras apelações, como este expressivo branco 100% Verdejo, de Rueda, fermentado em inox e sem passagem por madeira. Nariz rico, em que aparecem notas florais e de mel, damasco, melão e goiaba. Em corpo médio, é delicado, tem textura macia, muito boa acidez e final longo, com notas herbáceas e grande frescor (12,8%).

 

Faustino Crianza 2016

Bodegas Faustino – Rioja – Espanha – R$ 89 – Nota 90

Tinto bem feito, vindo de Oyón, Álava, na Denominación de Origen Calificada (DOCa) Rioja. Na vinha, plantada a 450 m de altitude, os rendimentos são relativamente baixos, de 6.500 kg por hectare. O enólogo José María Moreda Moro informa que 2016 foi um bom ano na região, com inverno moderado, primavera chuvosa e fria e verão ensolarado, permitindo uvas sadias e com plena maturação. Depois da fermentação, o vinho estagiou por 15 meses em barricas de carvalho americano. Nos aromas há figo e ameixa, em meio a especiarias e notas doces deixadas pela madeira. Frutado, estruturado, em corpo médio, mostra boa acidez, taninos maduros, equilíbrio e agradável final (13,3%).

 

Faustino I Gran Reserva 2008

Bodegas Faustino – Rioja – Espanha – R$ 250 – Nota 92

Espécie de cartão de visita da bodega, o Gran Reserva é corte de 86% Tempranillo, 9% Graciano e 5% Mazuelo. Na vinha, em Oyón, Álava, as parcelas destinadas a ele são selecionadas e têm rendimentos mais baixos do que o habitual, de 5 mil kg por hectare. Na adega, os cuidados vão bem além do que exige a legislação. Por lei, um Gran Reserva precisa envelhecer na cave por 60 meses, sendo 18 em madeira. Já o Faustino I amadurece por 26 meses em barricas de carvalho francês e americano e permanece em garrafa mais de cinco anos, antes de sair ao mercado. O resultado é um vinho equilibrado e harmônico, com vivacidade, que lembra nos aromas frutas de bosque, com notas florais, especiarias e baunilha. Na boca oferece bom corpo e taninos já lapidados, macios. Seco, preserva a acidez e tem final elegante. Dele, a empresa produz 900 mil garrafas em anos considerados bons – e as garrafas são escuras, jateadas. Uma curiosidade: o enólogo José María Moreda Moro observa que até por volta dos anos 1960 o Gran Reserva costumava apresentar gradação alcoólica média de 12,5% por volume. Nos últimos anos, por conta das mudanças climáticas, as uvas amadurecem mais, têm mais açúcar e o teor de álcool aumentou (14%).

 

Faustino Icon Edition 2014

Bodegas Faustino – Rioja – Espanha – R$ 300 – Nota 93

Este Reserva Especial de Faustino tem perfil mais moderno que os clássicos Reserva e Gran Reserva da casa. Também recebe cuidados extras, como a seleção de parcelas da Finca Malpica, adquirida nos anos 1970, com 150 hectares e localizada entre Oyón e Laguardia. Para o Icon, os rendimentos são de apenas 3.500 kg por hectare. Corte de 95% Tempranillo e 5% Graciano, o tinto teve crianza de 18 meses em barricas de carvalho francês e descansou outro tanto em garrafa. Os aromas lembram figo, amora, ameixa, com notas de cedro e cravo. Bem estruturado, tem taninos finos, em um conjunto redondo, macio, elegante e saboroso (13,3%).

 

 

 


Tags assigned to this article:
Bodegas FaustinoEspanha

Related Articles

Hannover e KMM fazem parceria

A Hannover, de Niels Bosner, de Porto Alegre, fez parceria com a KMM, de Marli Predebon, que vai distribuir em

Frio, comida e vinho

Os recentes dias frios, e o inverno chegando, convidam a tomar vinho. As comidas próprias da estação, mais substanciosas e

Os bons vinhos de Alejandro Bulgheroni na Itália

Depois de ganhar fama internacional com sua grandiosa Bodega Garzón, perto de Punta del Leste, no Uruguai, o bilionário argentino

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*