Garzón Tannat vai bem com carne grelhada

Garzón Tannat vai bem com carne grelhada

 

Para acompanhar churrasco e carnes grelhadas, os tintos uruguaios feitos com a uva Tannat são ótima alternativa. O vinho da bodega Garzón vai nessa linha e se sai bem. É o que mostrou esta semana, em evento que reuniu vinhos importados pela World Wine/La Pastina e carnes da Academia da Carne Friboi.

bodega-garzon2

A moderna e bela adega da Garzón, inaugurada em março

 

garzon-tannat-2Garzón Tannat 2014

Bodega Garzón – Maldonado – Uruguai – World Wine/La Pastina – R$ 90 – Nota 89

O Garzón Tannat é jovial, frutado, com acidez boa, daquelas para limpar o paladar. Tem taninos maduros, bom corpo, sem exageros e é fácil de beber. Com passagem de 6 meses por barricas de carvalho, não é marcado pela madeira e recebe elogios pelo conjunto. Aqui a procedência importa. Garzón é uma das vinícolas mais modernas e inovadoras do Uruguai. Pertence ao megaempresário argentino Alexandro Bulgheroni, que em 2000 comprou 5 mil hectares de terras em Maldonado, na costa Leste – perto dos balneários Punta del Este e José Ignacio -, voltados para o agronegócio. Lá tem 213 hectares de vinhedos e inaugurou em março passado sua adega espetacular, moderna e de bela arquitetura. Os tintos e brancos da Garzón (a vinícola oferece um belo Albariño e muito bom Sauvignon Blanc) devem melhorar ainda mais nos próximos anos, pois conta com a consultoria do grande enólogo italiano Alberto Antonini. Investimentos para isso não devem faltar. Bulgheroni é um dos homens mais ricos da Argentina, dono das petroleiras Bridas e Pan American Energy (PAE). Além da uruguaia Garzón, tem vinícolas em Mendoza (Vistalba) e na Califórnia (Renwood Winery).

 


Tags assigned to this article:
GarzónGrelhadosMaldonadoTannatUruguaiworld wine

Related Articles

Casa da Passarella, vinhos com história

  Poucas vinícolas se cercam de tantas histórias para ilustrar seus vinhos como a Casa da Passarella, situada aos pés

Os 85 anos da Aurora

Um tinto equilibrado, macio, rico de aromas, com taninos finos e ótima presença na boca. O Aurora Millésime Cabernet Sauvignon,

Château Los Boldos passa por grande renovação

O nome é francês, o dono é uma empresa portuguesa e o vinho, chileno. O Château Los Boldos, produzido no

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*