Zahil tem novo showroom em São Paulo e novidades no catálogo

Zahil tem novo showroom em São Paulo e novidades no catálogo

A nova loja na rua Bandeira Paulista

Depois de três anos concentrada apenas em sua sede administrativa e depósito, na área de Jurubatuba, zona sul de São Paulo, a importadora Zahil volta a ter loja física no Itaim Bibi. O bem montado showroom fica na rua Bandeira Paulista, 726, perto do local onde, por 10 anos, a empresa manteve sua unidade anterior, na rua Manuel Guedes. Além da loja, a Zahil apresenta novidades no catálogo, que incorporou tintos e brancos de mais cinco produtores da França e da Itália.

O recém-aberto showroom, situado no piso térreo do prédio comercial The Flag, tem estacionamento fácil e, junto com a venda de vinhos, oferece espaço para degustações, cursos, oficinas e eventos temáticos. É mais um passo na bem sucedida trajetória dos irmãos Antoine Zahil e Serge Zehil, de origem libanesa, que começou na década de 1970 com a comercialização de alimentos, especialmente palmito e conservas. A importadora surgiu em 1986 e em 1999 passou a se dedicar somente à distribuição de vinhos.

Vinha do Domaine de Lambisque, no Rhône

O portfólio da Zahil traz mais de 330 rótulos produzidos por cerca de 70 produtores, de 12 países. Entre eles há vinícolas bastante conhecidas por aqui, como as argentinas Rutini, Salentein e Callia; as chilenas Viña Los Boldos e Aquitania; as francesas Drappier, Trimbach, Château Puycarpin e Château de Pibarnon; Château Kefraya, do Líbano; as italianas Michele Chiarlo e Il Carbonaione. Há ainda os produtos espanhóis da casa La Rioja Alta; e os ícones da Sogrape/Casa Ferreirinha, de Portugal, entre eles o Barca Velha.

Para dar alternativas ao consumidor, diante das dificuldades econômicas vividas pelo país, nos últimos meses a Zahil buscou vinhos de preço mais acessível. Assim, incorporou ao catálogo marcas das vinícolas francesas Domaine Lambisque, do Rhône; Abbotts & Delaunay, do Languedoc-Roussillon; e Château Penin, de Bordeaux. Da Itália há novos tintos das empresas Cantolio, da Puglia, e Nicosia, da Sicília.

 

Côtes du Rhône Les Vignes Sauvages 2016

Domaine de Lambisque – Rhône – França – Zahil – R$ 121 – Nota 90

Tinto macio, saboroso e bem feito, produzido com as uvas típicas do Rhône e uso discreto da madeira. O Domaine de Lambisque explora 26 hectares de vinhedos nas comunas de Suze-la-Rousse e Bollène, na parte norte das Côtes du Rhône, com solos marcados pela presença de seixos redondos. O nome da casa vem da palavra provençal “lambrusco”, que significa “vinhas silvestres”, referência ao fato de que ali havia videiras desde tempos muito antigos. Mas a história atual do domaine começou nos anos 1940, quando o chefe da família Lambilly comprou a propriedade, com a intenção de deixá-la para os netos. A vinícola é comandada atualmente por Claire e seu marido, Philippe d’Autume, oficial da Marinha francesa que, depois de aposentado, tornou-se viticultor. Sem grande experiência, eles buscaram a colaboração de Catehrine e Laurent Delaunay. De uma antiga família de negociantes de vinho da Borgonha, Delaunay ganhou nome também como produtor, pela qualidade dos tintos e brancos que vinifica em suas duas vinícolas do sul da França, Abbotts & Delaunay e Domaine de la Metairie d’Alon. A parceria entre os dois casais deu muito certo, como se vê por este tinto, corte de 75% Grenache, 15% Cinsault, 5% Carignan e 5% Syrah, com estágio de 3 meses em barricas de carvalho. Lembra nos aromas cereja e ameixa, com notas de anis e algo de mentol e balsâmico. Em corpo médio, é envolvente na boca, tem acidez firme, taninos maduros e equilíbrio. Bom final, com agradável frescor (14%).

 

Showroom Zahil – Rua Bandeira Paulista, 726 – Itaim Bibi – São Paulo/SP – Tel.: (11) 3071-2900 – E-mail: www.zahil.com.br.


Tags assigned to this article:
Itaim BibiZahil

Related Articles

Provino 2019 abre novo espaço para o relacionamento entre os profissionais do vinho no Brasil

Público qualificado, mais de 120 vinícolas de 12 países diferentes, 200 marcas expositoras, 43 estandes, palestras interessantes, negócios à vista.

A vinicultura brasileira e as lições do mestre Adolfo Lona

  A produção de vinhos finos no Brasil, que começa a se consolidar, teve suas bases implantadas nas décadas de

Argentina quer mostrar que, além de tintos e Malbec, também produz ótimos vinhos brancos

Quando se fala em vinhos da Argentina, a primeira coisa que vem à cabeça são tintos, especialmente os feitos com

No comments

Write a comment
No Comments Yet! You can be first to comment this post!

Write a Comment

Your e-mail address will not be published.
Required fields are marked*